Um meio termo

Não sei se fui a última a descobrir, mas o espanhol tem uma declaração que está entre o “tô afim” e o “te amo”. Em português, até onde sei, saltamos esse imenso abismo entre uma coisa e outra direto, né não?

Pois bem, apresento-lhes o querido te quiero.
Bem longe da tradução literal para o português – que na minha cabeça não tem uma conotação exatamente afetiva. O te quiero seria algo mais perto de dizer que essa pessoa é muito querida por você. E isso, meus amigos, significa muito.
Quando perguntei às minhas amigas nativas sobre a relevância de escutar um te quiero, todas foram categórias: um te quiero é um grande passo na relação.

O negócio é que não me ensinaram isso nas aulas de espanhol. E quem sofreu com essa ignorância foi meu namorado quando, há mais ou menos 1 ano, se encheu de coragem para dizer que me queria. Eu sorri e disse “vou ali pegar alguma coisa pra comer e já volto”.

Por sorte ele não desistiu e, pelo bem das futuras relações entre hermanos e brazucas, minha sugestão é: internacionalizemos o te quiero!

Vamos combinar?

Bullying ao contrário: vamos refletir. Entendo do fundo do meu coração o quanto deve ser difícil viver contra a balança, e acho mesmo que eu nunca venceria essa. Impulsividade + amor pela comida = gordinha em potencial.

Mas que tal se todo mundo resolver lutar junto pela “democratização” da moda, da beleza e do mundo inteiro ao invés dessa vingança em forma de bullying contra os ossos alheios? Não sei se vocês sabem, mas muita gente é magrinha porque sim, e não porque acha que esse é um ideal de beleza, ou porque não come, ou porque qualquer outra coisa.

Eu e, com certeza, muitas outras magrinhas por aí, sofremos na adolescência do complexo do jeans também, mas lá no outro extremo: não havia jeans pequeno o suficiente para perninhas tão finas. E NAO, isso não é melhor.
Assim como não é mais nem menos agradável ouvir um espantado “nossa, como você está magra!”, do que ouvir um “como você engordou!”.

Não seria muito melhor não fazer bullying pra nenhum dos dois lados? Que tal cada um tratar de aceitar o próprio umbigo?